Prefeitura de Anastácio

Anastácio-MS - Sexta-feira, 18 de Agosto de 2017.
Secretaria Municipal de Saúde

Secretaria Municipal de Saúde

Quem Somos

Prefeitura de Anastácio

Prefeitura de Anastácio

À Secretaria Municipal de Saúde, órgão diretamente subordinado ao Prefeito Municipal, compete:

I - a formulação, em articulação com o Conselho Municipal de Saúde, da política de saúde do Município e sua execução, mediante promoção da integração, disseminação e hierarquização dos serviços da saúde, em conformidade com as normas do Sistema Único de Saúde;
II - a coordenação, a supervisão e a execução de programas, projetos, atividades e ações vinculadas ao Sistema Único de Saúde, em articulação com a Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul e com o Ministério da Saúde;
III - a coordenação e a execução das ações de controle sanitário do meio ambiente e de saneamento básico, em articulação com as Secretarias Municipais que têm atuação complementar nesta área;
IV - a coordenação, a fiscalização e a execução das ações de vigilância sanitária e do meio ambiente, a aplicação do ordenamento normativa de defesa sanitária vegetal e animal, no território do Município;
V - a promoção de medidas preventivas de proteção à saúde, em especial as de caráter imunológico e educativo concernentes ao perfil epidemiológico do Município e as ações de prevenção da saúde bucal;
VI - as ações relacionadas com a fiscalização e o controle técnico-científico, contábil, financeiro e patrimonial, avaliação de desempenho, qualidade e eficiência dos serviços de saúde do SUS, prestados por pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, contratadas ou conveniadas;
VII - a promoção da integração das atividades públicas e privadas, coordenando a prestação dos serviços de saúde e estabelecendo normas, parâmetros e critérios necessários ao padrão de qualidade exigido, no nível de competência do Município;
VIII - a administração, coordenação, manutenção, execução e controle dos serviços de saúde prestados pela rede pública de ambulatórios, postos, laboratórios e hospital para a prevenção à saúde da população;
IX - a distribuição de medicamentos, como atividade da assistência farmacêutica, em consonância com a política e diretrizes do Sistema Único de Saúde;
X - a execução dos serviços de vigilância epidemiológica e de saúde do trabalhador e colaboração na fiscalização das agressões ao meio ambiente que tenham repercussão sobre a saúde humana;
XI - a promoção e coordenação da integração das atividades de prestação de serviços de saúde no Município, visando assegurar graus de eficiência e produtividade nesse setor; e
XII - a manutenção, em caráter permanente, de ações voltadas à humanização do atendimento a saúde.

 


Atribuições dos Servidores

SUPERINTENDÊNCIA DE GESTÃO EM  SAÚDE PÚBLICA 

MÁRCIO DE ALBUQUERQUE BARROS

Tem por missão planejar, coordenar, executar, controlar, monitorar e avaliar as ações relacionadas à atenção à saúde da população, garantindo o acesso igualitário e estabelecendo padrões para uma atenção adequada às necessidades de saúde da população, missões:

I. O planejamento, a formulação, a implementação e a coordenação da de atenção à saúde, enquanto parte integrante da Política de Saúde, observados os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde;

II. A coordenação, a proposição e a formulação de diretrizes para o  desenvolvimento de ações intersetoriais voltadas à atenção à saúde, de interesse municipal;

  1. A adequação das políticas nacionais de atenção à saúde, para a realidade, garantindo assim a efetividade das mesmas;

IV. O assessoramento à direção superior nas questões relacionadas às ações de promoção, prevenção, cuidado, reabilitação e urgência/emergência, conformadas nas Redes de Atenção à Saúde;

  1. A coordenação da elaboração de relatórios e da análise de dados técnicos e gerenciais, relacionadas às ações de promoção, prevenção, cuidado, reabilitação e urgência/emergência, conformadas nas Redes de Atenção à Saúde, para subsidiar a definição de políticas de intervenção da área;

VI. A definição e a implementação de diretrizes, protocolos e orientações relativas à Atenção à Saúde;

VII. O acompanhamento, o monitoramento e o apoio aos municípios na organização das ações de saúde, garantindo a equidade na oferta de serviços de atenção à saúde, em conjunto com as equipes de Saúde;

VIII. A promoção da cooperação técnica, com orientação para a organização dos serviços de atenção à saúde que considere a incorporação de novos cenários epidemiológicos, em conjunto com as equipes de Saúde;

  1. A proposição de normas técnicas e administrativas relativas ao bom funcionamento de sua área de atuação e, demais atribuições inerentes à função, além do atendimento às demais solicitações e determinações do Secretário de Saúde.

 

COORDENADORIA DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS DA SAÚDE

ZACARIAS BARBOSA FALCÃO

Missão:

I. O planejamento, a programação, a execução, o controle, o assessoramento, o monitoramento e a avaliação das atividades relacionadas com:

a) A administração de insumos, materiais e equipamentos especializados ligados à execução das atividades de saúde, em conformidade com as normas fixadas pela Secretaria competente e de forma integrada com o Grupo Administrativo Setorial da Pasta;

b) O acompanhamento e o monitoramento das aquisições de insumos, materiais e equipamentos especializados ligados à execução das atividades de saúde, da gestão de estoque e da distribuição à rede de serviços;

c) A coordenação dos processos licitatórios para a contratação e aquisição de bens e serviços especializados ligados à execução das atividades de saúde;

d) A coordenação e a elaboração dos trâmites dos processos de importação de insumos, materiais e equipamentos especializados ligados à execução das atividades de saúde;

e) O acompanhamento dos processos de manutenção predial das unidades ligadas ao desenvolvimento de atividades de apoio técnico à saúde e ao atendimento à saúde, bem como dos equipamentos especializados próprios da SMS;

 f) O acompanhamento da execução de projetos de engenharia, obras, reparos e melhorias na rede pública municipal de atendimento à saúde;

II. O assessoramento à Direção Superior e às diversas unidades da SMS em assuntos de sua competência;

III.A produção de informações gerenciais para subsidiar os redirecionamentos necessários à melhoria da qualidade dos serviços do SUS;

IV.A integração funcional com o Grupo Administrativo Setorial da Prefeitura, otimizando a funcionalidade e seguindo determinações estabelecidas pela pasta competente;

V. O subsídio técnico aos projetos de engenharia, específicos da área de saúde executados pela Secretaria competente;

VI. O apoio às unidades executoras dos serviços de saúde, por meio do assessoramento técnico e do fornecimento dos instrumentos necessários à melhoria de suas operações;

VII. A coordenação dos registros e dos sistemas de controle de todos os equipamentos e bens patrimoniáveis da SMS;e

VIII. Demais atribuições inerentes à função além do atendimento às demais solicitações e determinações da Secretaria de Saúde.

 

DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DA SAÚDE

JAIR MARINHO PACHECO

Tem a missão de  representar o titular da pasta em situações peculiares inerentes ao cargo; dirigir a elaboração de cronogramas de trabalho para melhor aproveitamento de recursos humanos e economicidade dos projetos elaborados pela Secretaria, bem como fiscalizar o seu cumprimento; dirigir e supervisionar os projetos desenvolvidos pela Secretaria; dirigir e coordenar as equipes que desenvolvem projetos junto à Secretaria, orientando e determinando os procedimentos; assessorar o titular da pasta em suas relações públicas; dirigir o processo de encaminhamento dos interessados aos órgãos competentes da Secretaria para atendimento ou solução de consultas e reivindicações; eventualmente, se habilitado, dirigir veículo automotor estritamente no desempenho de suas funções; executar competências afins. E, demais atribuições inerentes à função além do atendimento às demais solicitações e determinações da Secretaria de Saúde.

DEPARTAMENTO DE REGULAÇAO, CONTROLE, AVALIAÇÃO E AUDITORIA DO SUS

FLORIANO OCAMPOS DA SILVA

 Tem a missão de:

  1. Planejamento, a formulação, a implementação e a coordenação da gestão dos vínculos formais com os estabelecimentos prestadores de serviços de saúde integrantes da política de saúde, observados os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde;
  2. A coordenação, análise e parecer sobre as solicitações de habilitações em serviços de alta complexidade dos prestadores de serviços de saúde para o SUS, no âmbito estadual;
  3. O monitoramento e a avaliação dos indicadores de produção e desempenho dos prestadores de serviços de saúde;
  4. A realização de estudos e a proposição de critérios e indicadores para estabelecimento da política de atuação da superintendência;
  5. A coordenação e a definição de diretrizes para a elaboração e acompanhamento dos Planos Operativos Anuais, vinculados aos contratos dos prestadores de serviços de saúde;
  6. O acompanhamento da execução das metas físico-financeiras, atendendo às normativas dos instrumentos legais sob responsabilidade da Superintendência;
  7. A elaboração de parecer técnico sobre as solicitações de credenciamento e descredenciamento ao SUS dos prestadores de serviços de saúde;
  8. A elaboração dos termos, contratos e protocolos a serem realizados com os prestadores de serviços de saúde;
  9. A elaboração de planilhas financeiras com base nos relatórios de acompanhamento e avaliação dos instrumentos legais, destinadas ao pagamento dos prestadores de serviços de saúde;
  10. A análise e a emissão de parecer técnico conclusivo sobre assuntos relacionados à sua competência;
  11. A cooperação técnica aos demais integrantes do campo de ação da Superintendência, bem como o apoio técnico às Regionais de Saúde nas áreas de competência do Departamento;
  12. O estabelecimento de mecanismos para a regulação do acesso do usuário ao sistema de saúde;
  13. A elaboração de normas técnicas de funcionamento das Unidades de Regulação de Leitos, sob gerência exclusiva do Estado;
  14. A coordenação da operação do complexo regulador nas referências intermunicipais e da base de suporte avançado às urgências, quando da sua existência;
  15. A realização de auditoria nos prestadores ambulatoriais e hospitalares sob gestão estadual e auditoria de gestão nos municípios;
  16. A participação na elaboração de programas e projetos em áreas e temas da competência do Departamento.

 

Chefe de Departamento de Expediente, Patrimônio e Atividades

 

São missões do Chefe de Departamento de Expediente, Patrimônio e Atividades Complementares

I – Administrar o órgão-sede da Secretaria Municipal de Educação quanto:

a)  Ao pessoal e ao expediente da sede:

1)  Controlando os registros da freqüência, dos horários de entradas e saídas;

2)  Organizando a escala de férias dos servidores da sede, submentendo-a ao Secretário Municipal de Educação;

3) Informando o Secretário Municipal de Saúde das necessidades de contratação e substituição de servidores para a sede;

4) Providenciando correção de pagamento;

5) Organizando a distribuição de “holleriths”, cestas básicase outras espécies assemelhadas aos servidores da sede e dos servidores externos;

6) Mantendo os servidores informados a respeito de seus direitos e deveres;

7) Autorizando a retirada do servidor durante o expediente quando isto for justificável;

8) Distribuindo os serviços burocráticos internos entre os servidores administrativos;

9) Providenciando as pequenas medidas necessárias ao expediente interno;

10) Aplicando penalidade aos servidores da sede até o nível de suspensão por três (3) dias;

11) Organizando a ocupação racional dos espaços físicos da sede e racionalizando o uso dos equipamentos por parte dos funcionários, inclusive do telefone; e

12) Organizando a saída de funcionário para serviços fora da sede;

13) Encarregar-se do patrimônio da secretaria:

1) Informando o Secretário Municipal de Saúde sobre toda movimentação de materiais;

2) Providenciando os assentamentos dos materiais incorporados, recebidos, transferidos, e dos que devam sofrer baixa patrimonial;

3) Autorizando a transferência entre as dependências da Secretaria Municipal de Saúde;

4) Mantendo contato permanente com o setor de patrimônio da Prefeitura Municipal para a atualização dos registros;

5) Recebendo e encaminhando ao departamento de planejamento, finanças e recursos humanos as necessidades referentes aos veículos, ao prédio e aos equipamentos da sede da Secretaria Municipal de Saúde;

6) Informando a necessidade de aquisição de materiais para os estabelecimentos e órgãos da rede municipal de ensino e providenciando a reforma dos materiais danificados; e

7) Informando o Secretário Municipal de Saúde sobre qualquer irregularidade constatada no patrimônio da Secretaria;

Subordinam-se ao Chefe de Depto de Expediente, Patrimônio e Atividades Complementares:

I- Subordinam-se ao chefe do departamento de expediente, patrimônio e atividades complementares os servidores em exercício no órgão-sede da Secretaria Municipal de Educação abaixo:

a) O auxiliar de atividades complementares;

b) Outros servidores colocados à disposição dessa chefia;

E, demais atribuições inerentes à função além do atendimento às demais solicitações e determinações da Secretaria de Saúde.

 

DEPARTAMENTO DE AÇÕES BÁSICAS DE SAÚDE E ENFERMAGEM

ANDRÉIA DALLAQUA

Missão :

I . O planejamento, a formulação e a coordenação das ações de atenção primária à saúde, como suporte às ações da Superintendência de Atenção à Saúde, com base nos dados epidemiológicos, sociodemográficos e sanitários do município;

II. A coordenação da elaboração e da execução de programas e projetos, em áreas e temas voltados para a saúde por gênero, ciclos de vida, grupos vulneráveis, saúde da família, em conjunto com as demais áreas afins;

III. A elaboração e o acompanhamento da implantação e da execução de programas, projetos e ações;

IV. O planejamento, a proposição de protocolos, o monitoramento e a avaliação das ações em áreas e temas voltados para a saúde por gênero, ciclos de vida, grupos vulneráveis, saúde da família, nos diferentes níveis;

  1. O auxílio na execução das estratégias de monitoramento e avaliação da atenção primária à saúde, em conjunto com as equipes;

VI. O acompanhamento, o monitoramento, a avaliação, a proposição e a adequação das políticas nacionais, buscando ampliar a resolutividade das ações de saúde, nas áreas e temas voltados para a saúde por gênero, ciclos de vida, grupos vulneráveis, saúde da família, e, demais áreas de sua competência, em conjunto com as equipes das Unidades de Saúde

VII. A orientação, qualificação e a capacitação dos profissionais envolvidos no processo da atenção primária à saúde, com vistas a garantir o desenvolvimento das ações e programas na sua área de atuação, em conjuntos com os setores afins;

  1. A definição de padrões de ambiência adequados à organização da atenção primária à saúde no âmbito do município, em conjunto com os setores afins;

IX. A análise e a emissão de parecer técnico conclusivo sobre assuntos relacionados a sua competência; e

X. A cooperação técnica, bem como, o apoio às Equipes de Saúde para o desenvolvimento de ações no seu âmbito de atuação.

E, demais atribuições inerentes à função além do atendimento às demais solicitações e determinações da Secretaria de Saúde

 

DIVISÃO DE AÇÕES BÁSICAS DE SAÚDE

DANIELLE DE CARVALHO ALVES

Tem a missão de representar o titular da pasta em situações peculiares inerentes ao cargo; dirigir a elaboração de cronogramas de trabalho para melhor aproveitamento de recursos humanos e economicidade dos projetos elaborados pela Secretaria, bem como fiscalizar o seu cumprimento. E, demais atribuições inerentes à função além do atendimento às demais solicitações e determinações da Secretaria de Saúde.

DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

SUELEN GUESSY BRAGA

Tem como missão a gestão do Sistema de Vigilância em Saúde composto pelas vigilâncias sanitária e epidemiológica, Centro de Controle de Vetores e Divisão de Vigilância Sanitária, em consonância com as diretrizes do SUS, compete:

  1. A coordenação e a supervisão das ações de prevenção e controle das doenças ou agravos, identificando e priorizando os problemas de saúde da população;
  2. A execução das ações de vigilância em saúde em conjunto com as equipes das Unidades de Saúde;
  3. O assessoramento e o apoio técnico no planejamento e execução das ações de Vigilância em Saúde;
  4. A coordenação e o acompanhamento da aplicação dos recursos financeiros destinados às ações de Vigilância em Saúde;
  5. A gerência dos sistemas de informações e de insumos estratégicos utilizados na Vigilância em Saúde;
  6. A integração e a articulação das ações de Vigilância em Saúde com os demais entes públicos e áreas da Secretarias, objetivando a otimização de ações intersetoriais que possam interferir nos determinantes e condicionantes de saúde;
  7. A análise da situação de saúde com o monitoramento, o acompanhamento e a avaliação das ações de Vigilância em Saúde, pactuadas e realizadas pelas equipes de saúde;
  8. A regulação da produção e da comercialização de produtos de interesse à saúde, obedecendo aos padrões estabelecidos pela legislação vigente;
  9. A coordenação da execução das ações de programas estratégicos que exigem enfrentamento diferenciado, em face de suas características epidemiológicas e estruturais, demandando intervenções de maior complexidade política, financeira, social e administrativa;

A proposição de cursos, capacitações e atualizações dos profissionais de saúde que atuam no SUS  em temas relacionados à melhoria da vigilância em saúde; e

E, demais atribuições inerentes à função além do atendimento às demais solicitações e determinações da Secretaria de Saúde.

DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

ANDRÉ LUIZ ORTIZ

Ações Desenvolvidas

  • AÇÕES REALIZADAS NO COMÉRCIO
  1. Comercio fixo ou ambiente pousada, clubes, etc.;
  2. Boletim de visita e orientação;
  3. Boletim de inspeção sanitária (BIS);
  4. Termo de vistoria;
  5. Intimação;
  6. Notificação;
  7. Auto de Infração;
  8. Imposição de multa;

Liberação de Alvará Sanitário ou Interdição dos Estabelecimentos

  • AÇÕES REALIZADAS COM ALIMENTOS
  1. Coleta de Produtos;
  2. Exame laboratorial;
  3. É feita, liberação ou apreensão dos produtos vencidos, embalagem violada, má conservação (o proprietário tem 15 dias para recorrer judicialmente).
    • RECLAMAÇÕES E NOTIFICAÇÕES
  4. Notificação após visita ao local;
  5. Orientações (limpeza de terreno, dedetização, retirada do lixo);
  6. Apreensão de mercadorias e medicamentos vencidos e ou por ofício circular da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA);
  7. Solicitação de retirada de animais de grande porte de perímetro urbano.
  • FARMÁCIAS, DROGARIAS, SERVIÇOS ODONTOLÓGICOS, CLÍNICOS TERAPÊUTICO-DIAGNÓSTICOS HEMOTERAPIA, PRONTO SOCORRO
  1. Fornecer numeração para fabricação dos talonários de acordo com a portaria 344/98;
  2. Abertura e encerramento de livros de controle de entrada e a saída de medicamentos controlados, instrução quanto a guarda e comercialização desses produtos (mapa trimestrais e conferência de estoque segundo os livros);
  3. O alvará sanitário somente é concedido as farmácias quando obtiverem o certificado de regularidade junto ao C.R.F.O.
  4. Fiscalização e controle de transfusão de sangue, componente e derivados nas Agências transfusionais localizada no hospital do município;
  5. Esses estabelecimentos devem apresentar o manual de boas práticas, programa de capacitação de recursos humanos;
  6. Acompanhamento de C.C.I.H. (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar) implantados nos hospitais do município.
  • ESTABELECIMENTOS DE ENSINOS (PARTICULARES E PÚBLICOS), CRECHES, ASILOS OU CASA DE IDOSOS, HABITAÇÃO UNIFAMILIAR E COLETIVA, LOCAIS CO COFINS DE LAER OU RELIGIOSOS.
  1. Cadastramento dessas unidades;
  2. Inspeção envolvendo estrutura física, salubridade, água, esgoto sanitário, higiene e limpeza;
  3. Vigilância no ambiente de trabalho.
  • CEMITERIOS, ESTAÇÃO RODOVIARIA, AMBULÂNCIA
  1. Inspeção Geral
  • LABORATÓRIOS DE PRÓTESES, CLÍNICAS DE FISIOTERAPIA, APLICADORAS DE PRODUTOS, SANEANTES DOMISSANITÁRIOS, ESTABELECIMENTOS CARCERÁRIOS, SISTEMA DE COLETA, DISPOSIÇÃO E TRATAMENTO DE ESGOTO.
  • PROCEDIMENTO DE MICROBIOLOGIA
  1. Controle da qualidade do leite consumido;
  2. Controle de qualidade da água (implantação do programa SISAGUAS);
  3. Taxa de flúor da água (Sistema de fluoretação) para controle de cárie dentária infantil.
  • PROCEDIMENTO DE FÍSICO-QUÍMICO
  1. Embalagem de água mineral;
  2. Aditivo (matéria prima);
  3. Verificação da rotulagem do produto e compatibilidade dos resultados com a legislação vigente.

12- OUTROS PROGRAMAS

  1. Inspeção para avaliação de processo de registro de produtos;
  2. Inspeção para fins de autorização de funcionamento;

E,  demais atribuições inerentes à função, além do atendimento às demais solicitações e determinações do Secretário de Saúde.

Divisão de Controle de Vetores:

Antôni Damasceno Silva

  1. O Controle de Vetores desenvolve ações básicas de Vigilância em Saúde visando reduzir, controlar e eliminar as doenças endêmicas, tais como Dengue, Malária, Leishmaniose, Doenças de Chagas e Febre Amarela no município de Anastácio em conformidade com as metas pactuadas, e demais atribuições inerentes à função, além do atendimento às demais solicitações e determinações do Secretário de Saúde.

 

DIVISÃO DE  VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

É o conjunto de ações que proporcionam o conhecimento, a detecção ou prevenção de quaisquer fatores determinantes de saúde individuais ou coletivas com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle de doenças.

  • AÇÕES REALIZADAS
    1. CONTROLE DE NOTIFICAÇÃO DE DOENÇAS
    • Coleta de dados
    • Investigação de casos;
    • Processamento dos dados coletados,
    • Análise e interpretação dos dados processados;
    • Recomendação das medidas de controle apropriadas;
    • Promoção das ações de controle indicadas;
    • Avaliação da eficácia e efetividade das medidas adotadas;
    • Divulgação de informação pertinente;
    • Pactuação anual das metas de Atenção Básicas e da Programação Pactuada e Integrada de Epidemiologia e Controle de Doenças.
    1. CONTROLE DE NATALIDADE MORTALIDADE E MORBIDADE AMBULATORIAL E HOSPITALAR
  • Distribuição e coleta de Declarações;
  • Processamento dos dados coletados;
  • Investigação dos dados coletados;
  • Análise e interpretação dos dados processados;
  • Avaliação da eficácia e efetivadade das medidas adotadas;
  • Divulgação de informação pertinente
  • Realização de reuniões com comitês de mortalidade Materna.
  • Realização de Campanha de Multivacinação (02 etapas)
  • Tabulação dos dados;
  • Cumprimento das metas,
    1. IMUNIZAÇÃO

E, demais atribuições inerentes à função, além do atendimento às demais solicitações e determinações do Secretário de Saúde.

 

ZOONOSES

1. Diagnosticar a realidade do município, planejar as ações e executá-las em consonância com a política nacional;

2. Desenvolver parceria com a secretaria de obras para que os terrenos sujos sejam notificados como abrigosde roedores e criames de mosquito;

3. Notificação das reclamações referentes a criames de animais em zona urbana;

4. Eliminação de cães portadores de Leishmaniose e ou suspeito de outras doenças a pedido do dono;

5. Notificação e acompanhamento de cães que agrediram pessoas para controle profilático da raiva canina;

6. Vacinação anual anti-rábica canina e felina em três etapas;

  1. 1. Área rural;
  2. 2. Área urbana.

7. Realizar bloqueio nos focos de Raiva animal;

8. Realizar eutanásia de cães com raiva para remessa de material para diagnostico e busca ativa do vírus rábico;

9. Envio do mapa de profilaxia de raiva a Secretaria Estadual de Saúde.

E,demais atribuições inerentes à função, além do atendimento às demais solicitações e determinações do Secretário de Saúde.

 

DIVISÃO DE VIGILÂNCIA AMBIENTAL

FERNANDO HENRIQUE CENTENARO MARTINHO

  1. Cadastrar as fontes de abastecimentos coletivo (Sistema Público e Privado) e alternativos (mananciais superficiais, poços, caminhões pipa, etc.) de abastecimento dos municípios para avaliação de potalidade.
  2. Fazer análises bacteriológicas (coliformes fecais e totais) e físico-químicas (turbidez e cloro residual) da água de abastecimento da população;
  3. Estudo e controle sobre o meio ambiente, tanto em ambientes de vida e trabalho quanto de habitação, lazer e outros, sempre que implique em aplicação de agrotóxicos, comercialização e estocagem de agrotóxicos, saneamento urbano e rural, lixo domiciliar, comercial, industrial e hospitalar, e demais atribuições inerentes à função, além do atendimento às demais solicitações e determinações do Secretário de Saúde.

 

DIVISÃO DE ODONTOLOGIA 

ALESSANDRA DE FREITAS

    “O conceito de saúde bucal é uma abstração útil, a rigor, saúde é um estado do indivíduo, que não pode substituir como saúdes parciais dos diversos órgãos e sistemas, desta forma a responsabilidade do Cirurgião Dentista inclui, além dos dentes, as estruturas adjacentes que os suportam e certas porções da cavidade bucal, ou seja, a saúde bucal como estado de harmonia, normalidade ou higidez da boca, só tem significado quando acompanhada, em grau razoável, de saúde geral do indivíduo.”

  De acordo com a Política Nacional de Saúde Bucal em 1989:

Sistema buscará organizar–se para:

  • Alcançar uma ampla cobertura das crianças de 6 a 12 anos de idade;
  • Prevenir as doenças bucais, com ênfase na cárie dental, em toda a população, a partir do nascimento;
  • Enfatizar ações de educação para a saúde bucal, em todos os níveis;
  • Prestar atenção essencial onde houver uma comunidade;
  • Expandir gradativamente a prestação de serviços resolutivos aos grupos em segundo e terceiro graus de prioridades (13 a 19 anos e 02 a 05 anos).

Tipos de Serviços:

  • Serviços Emergenciais;
  • Ações Preventivas e de educação em saúde bucal;
  • Serviços Recuperadores básicos (Cárie Dentária e Doença Periodontal);
  • Serviços de Especialidades Básicas de atenção odontológica ( endodontia, periodontia, prótese, cirurgia e ortodontia);
  • Serviços especializados de alta complexidade ( implante, cirurgias buco – maxilares, etc).

Os Danos que acometem a cavidade bucal de acordo com o quadro Epidemiológico Brasileiro, estão ordenados da seguinte maneira:

  1. Cárie dental;
  2. Doenças periodontais;
  3. Problemas dentomaxilofaciais e ortodônticos;
  4. Câncer bucal;
  5. Infecções viróticas: hepatite, AIDS, Herpes;
  6. Outros problemas.

E, demais atribuições inerentes à função além do atendimento às demais solicitações e determinações da Secretaria de Saúde.

DIVISÃO DE SAÚDE BUCAL:

Tem a missão de  representar o titular da pasta em situações peculiares inerentes ao cargo; dirigir a elaboração de cronogramas de trabalho para melhor aproveitamento de recursos humanos e economicidade dos projetos elaborados pela Secretaria, bem como fiscalizar o seu cumprimento. E, demais atribuições inerentes à função além do atendimento às demais solicitações e determinações da Secretaria de Saúde.

 

 

 

Organograma

Prefeitura de Anastácio
Mapa
Endereço
Endereço: Avenida da Integração, nº 861, Centro, Anastácio/MS
Telefone: Telefone: 3245-2241 / 1743
E-mail: secsaude@anastacio.ms.gov.br
Ouvidoria

Endereço: Avenida da Integração n° 861 (anexo a Secretaria Municipal de Saúde)
Telefone: 67 – 3245-1741
E-mail: ouvidoria@anastacio.ms.gov.br
Horário de Funcionamento: das 7h às 13 horas, de segunda a sexta-feira
Regulamentação da Lei de Acesso à Informação

Social